Show simple item record

dc.creatorSilva, Romário Rodrigues Diomedes da
dc.date.accessioned2022-04-29T19:49:56Z
dc.date.available2022-04-29T19:49:56Z
dc.date.issued2022-01-14
dc.identifier.urihttps://repositorio.ifpe.edu.br/xmlui/handle/123456789/545
dc.description.abstractParks and squares can play an important role in health promotion, as they can be suitable places for physical activity, providing an active life to users. The present work had as its object of study the Parque de Camaragibe, with the objective of qualitatively verifying the Parque de Camaragibe as a space for physical activity. It is also sought to apply the SERVQUAL scale adapted to the reality of the park and thus understand the level of user satisfaction, identifying points for improvement. Data were collected in 3 stages: visit to the urban planning sector for an interview with the manager, as well as systematic observation in loco and application of questionnaires in Camaragibe Park with users who practice physical activity. Twelve attributes were defined, important for promoting well-being and meeting the needs of users. This work can be classified as a field survey work, of the descriptive type and with a qualitative approach, having the structured questionnaire as an instrument for collecting opinions. To assess the Expectation (E) and Perception (P) questions, the Likert scale adapted to 5 wasused, being distributed in 1 "strongly disagree", 2 "disagree", 3 "neither agree nor disagree", 4 "agree ” and 5 “I totally agree”. Analyzing the data, it was possible to identify that the presence of security professionals, the presence of a physical education professional and the availability of accessible/clean bathrooms were the variables that presented the greatest gaps between expectation (E) and perception (P), thus being characterized as criticism.pt_BR
dc.format.extent14f.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.relationAGUIAR, J.B..; MOIZINHO, I.N.M; MELO, M.A.; FREIRE, A.K.U.; SARAIVA, L.C.; SANTOS, A.L.B.; GURGEL, L.A. Espaços Públicos de Lazer de uma Capital Brasileira: Avaliação da Qualidade e Uso para a Prática de Atividade Física. LICERE Revista do Programa de Pós-graduação Interdisciplinar em Estudos do Lazer, v. 22, n. 4, p. 317-339, 2019. BATISTA, G. S.; BORELLA, H.D.; GIMENES, R.; ROMANI, G. N.; PIVETTA, K.F.L. Análise quali-quantitativa da vegetação e dos elementos arquitetônicos da praça Dom Assis, Jaboticabal, São Paulo. Ornamental Horticulture, v. 19, n. 1, p. 7-18, 2013. BEM, E. V.; TOCCHIO, A. G.; SOUZA, A. R. A importância da prática de exercícios orientados na academia ao ar livre. 2012. 37p. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação)- Educação Física. - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais, Campus Muzambinho, Muzambinho. 2012. Disponível em: https://www2.muz.ifsuldeminas.edu.br/attachments/1687_26.pdf. Acesso em: 18 set. 2021. CASTELNOU, A. M. N. Parque Urbanos de Curitiba: de Espaços de Lazer a Objetos de Consumo. Cadernos de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v. 13, n. 14, p. 53-73, 2006. Disponível em: http://periodicos.pucminas.br/index.php/Arquiteturaeurbanismo/article/view/832. Acesso em: 14 ago. 2021. COSTA, B. V. L.; MENDONÇA, R.D.; SANTOS, L.C.; PEIXOTO, S.V. Academia da cidade: um serviço de promoção da saúde na rede assistencial do Sistema Único de Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v.18, n.1, p. 95-102, jan. 2013. FAUSTINO, D.U; DE SÁ, T.; Reinaldo,M. Pesquisa de satisfação em parques urbanos: um estudo no Parque Ibirapuera (SP). Revista Brasileira de Ecoturismo (RBEcotur), v. 14, n. 3, 2021.Disponível em: file:///C:/Users/romar/Downloads/11318- Texto%20do%20artigo-49985-3-10-20210721%20(1).pdf. Acesso em 10 dez. 2021. GONÇALVES, T. J. M.; BELDERRAIN, M. C. N. Avaliação da Qualidade em Lan Houses através da adaptação do instrumento SERVQUAL. Produção Online, Florianópolis, v. 12, n. 1, p.248-268, jan./ mar. 2012. Lamas, J.M.R.G. Morfologia Urbana e Desenho da Cidade. 3 ed, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, Fundação para a ciência e a tecnologia, 2004. LOVELOCK, C.; WIRTZ, J.; HEMZO, M.A. Marketing de serviços: pessoas, tecnologia e estratégia. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 7. ed. Edição, 2011 MALLMANN, A.S. Praça Municipal do Parque Alvorada-Dourados/MS: apropriação do espaço público como lugar de lazer. 2019. Dissertação (mestrado), - Geografia, Universidade Federal da Grande Dourados/MS, 2019. MALTA, D.C.; CEZARIO, A.C.; MOURA, L.; MORAIS NETO, O.L.; SILVA JUNIOR, J.B.S. Epidemiologia e serviços de saúde, v. 15, n. 3, p. 47-65, 2006. MCCORMACK, G. R.; ROCK, M.; TOOHEY A. M.; HIGNELL, D. Characteristics of urban park associated with park use and physical activity: a review of qualitative research. Health & Place, v.16, n.4, p. 712-26, 2010. Disponível em: https://doi.org/10.1016/j.healthplace.2010.03.003. Acesso em : 14 ago. 2021. MIOT, H. A. Tamanho da amostra em estudos clínicos e experimentais. Jornal Vascular Brasileiro, v. 10, p. 275-278, 2011. MONTEIRO, C. R.; FARO, A. C. M. E. Atividade física segundo a percepção dos estudantes de enfermagem. Rev. Latino-am Enfermagem, v. 14, n. 6, nov./ dez. 2006. MORERO, A.M.; SANTOS, R.F.; FIDALGO, E.C.C. Planejamento ambiental de áreas verdes: estudo de caso de Campinas-SP. Revista do Instituto Florestal, São Paulo, v.19, n.1, p.19-30, 2007. Disponível em: https://www.alice.cnptia.embrapa.br/alice/bitstream/doc/339235/1/PLANEJAMENTOo k.pdf . Acesso em : 14 ago. 2021. MOYSÉS, S.J.; MOYSÉS, S.T.; KREMPEL, M.C. Avaliando o Processo de Construção de Políticas Públicas de Promoção de Saúde: a Experiência de Curitiba. Ciência & Saúde Coletiva, v. 9, n.3, p. 627-641, 2004. Ministério da Saúde. Portaria n. 2.681, de 7 de novembro de 2013: redefine o Programa Academia da Saúde no âmbito do Sistema Único de Saúde. 2013. Disponivel em https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2013/prt2681_07_11_2013.html Acesso em 09 out. 2021. NASCIMENTO, A.; CUNHA, D. atividade física e espaço urbano: proposta de um centro de saúde para o idoso na cidade de Guarapuava-PR. Revista Journal of Health-ISSN 2178-3594, v. 1, 2020. NETO, R.B.; GRAEFF, B.; BESTETTI, M.LT.. A relação idoso-ambiente em praças e parques: uma análise exploratória. Revista Kairós-Gerontologia, v. 24, n. 3, 2021. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/55423/38066. Acesso em 29 dez. 2021. OLIVEIRA, K.C.; NASCIMENTO, A.P.B.; RAMOS, H.R.; Kniess, C.T.; AQUINO, S. Percepção, uso e afetividade de frequentadores de praças públicas na cidade de São Paulo, Brasil. Journal of Urban Technology and Sustainability, v. 2, n. 1, p. 11-26, 2019. OWEN, N., LESLIE, E.; SALMON, J.; & FOTHERINGHAM, M. J. Environmental determinants of physical activity and sedentary behavior. Exerc Sport Sci Rev, v.28, n.4, p.153-158, 2000. Disponível em: https://courses.ecampus.oregonstate.edu/hhs231/one/environmental_determinants.h tm. Acesso em: 05 abr. 2021. RAMOS, D. 4 passos para aplicar a análise SERVQUAL na sua empresa. Blog da Qualidade. 9 maio 2017. Disponível em: https://blogdaqualidade.com.br/4- passos- para-aplicar-analise-servqual-na-sua-empresa/.Acesso em: 19 dez. 2021. REIS, R. S.; NASCIMENTO, J.V.; PETROSKI, É.L. Escala de auto-percepção do ambiente para a realização de atividades físicas. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 7, n. 2, p. 14-23, 2002. RIBEIRO, E.A.G; LONTRA, M.S.M; GOLIN, C.H. Espaços públicos de lazer em Corumbá/MS: uma análise sobre as infraestruturas para a prática de atividades físicas. Revista GeoPantanal, v. 12, p. 39-54, 2017. file:///C:/Users/romar/Downloads/4180-Texto%20do%20artigo-18388-1-10- 20180414.pdf. Acesso em: 05 abr. 2021 RICHTER, M.; BOCKER, R. Developing an urban landscape management concept through the integration of environmental quality goals and environmental information systems. In: Urban Ecology. Springer, Berlim, p. 479-481, 1998. Disponível em: https://link.springer.com/chapter/10.1007%2F978-3-642-88583-9_97.Acesso em: 05 abr. 2021. SANTOS, E.S. Reflexões sobre a utilização de espaços públicos para o lazer esportivo. Revista RA´E GA, Curitiba, v.1 n. 11, p. 25-33, 2006. SCRAMIM, F.C.L.; RIEG, D.L.; MAIA, D.B.. Adaptação do instrumento SERVQUAL para mensuração da qualidade em serviços prestados por transportadoras rodoviárias de cargas. Sistemas & Gestão, v. 10, n. 3, p. 396-407, 2015. Disponível em : https://www.researchgate.net/profile/Fernando Scramim/publication/283422963_Adaptacao_do_Instrumento_Servqual_para_Mensu racao_da_Qualidade_em_Servicos_Prestados_por_Transportadoras_Rodoviarias_d e_Cargas/links/5637d5f008ae51ccb3cbeb69/Adaptacao-do-Instrumento-Servqual- Instituto Federal de Pernambuco. Campus Igarassu. Curso de Gestão da Qualidade. 14 de janeiro de 2021. para-Mensuracao-da-Qualidade-em-Servicos-Prestados-por-Transportadoras Rodoviarias-de-Cargas.pdf. Acesso em 15 dez. 2021. SILVA, P.V.C.; COSTA, J.R.A.L. Efeitos da atividade física para a saúde de crianças e adolescentes. Psicol. Argum., Curitiba, v. 29, n. 64, p. 41-50, jan./ mar. 2011. SILVA, D.A.S.; PETROSKI, E.L.; REIS, R.S. Barreiras e facilitadores de atividades físicas em freqüentadores de parques públicos. Motriz. V. 15,n.2, p. 219-227. 2009 SILVA, I.C.M.; MIELKE, G.I.; NUNES, B.P.; B.A.; BLANKE, A.O.; NACHTIGALL, M.S.; CRUZ, M.F.; MARTINS, R.; MÜLLER, W.A.; HALLAL, P.C. Espaços públicos de lazer: distribuição, qualidade e adequação à prática de atividade física. Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde, v. 20, n. 1, p. 82-82, 2015. Disponívem em: https://rbafs.emnuvens.com.br/RBAFS/article/view/4609/4240. Acesso em 30 dez. 2021. SOUSA, J. Actividade física ao ar livre e parques urbanos: estudo realizado no parque da cidade do Porto. Trabalho de conclusão de curso, licenciatura em educação física, Universidade do Porto. Porto, 2007. Disponível em: https://repositorio-aberto.up.pt/bitstream/10216/14576/2/38611.pdf. Acesso em 21 dez. 2021. VIANA, V.C. A contribuição de duas academias ao ar livre de Betim-MG para a promoção da saúde através da prática de atividades físicas no tempo livre segundo recomendações da OMS. Orientadora: Ana Claúdia Porfírio Couto. 2017. 42f. Especialização (monografia) – Universidade Federal de Minas Gerais, Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional. Belo Horizonte, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/EEFF BC5GB4/1/tcc a_contribui o_de_duas_academias_ao_ar_livre_de_betim_mg.... pdf. Acesso em: 15 dez. 2021.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAtividade físicapt_BR
dc.subjectParquept_BR
dc.subjectPraçaspt_BR
dc.subjectPercepção e expectativa do clientept_BR
dc.subjectQualidade de serviçopt_BR
dc.titleAnálise qualitativa do parque de Camaragibe-PE para a prática de atividades físicaspt_BR
dc.typeArticlept_BR
dc.creator.Latteshttps://lattes.cnpq.br/3163840802139558pt_BR
dc.contributor.advisor1Monteiro, Bruno Rios
dc.contributor.advisor1Latteshttps://lattes.cnpq.br/1855474106708389pt_BR
dc.contributor.referee1Oliveira, Alexandre Magno Alves de
dc.contributor.referee2Ribeiro Neto, Luiz Guimarães
dc.contributor.referee1Latteshttps://lattes.cnpq.br/5303572029930051pt_BR
dc.contributor.referee2Latteshttps://lattes.cnpq.br/7781945841002844pt_BR
dc.publisher.departmentIgarassupt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.subject.cnpqOUTROSpt_BR
dc.description.resumoParques e praças podem desempenhar papel importante na promoção a saúde, pois podem ser locais propícios para prática de atividade física, proporcionando uma vida ativa aos usuários. O presente trabalho teve como objeto de estudo o Parque de Camaragibe, com o objetivo de analisar de forma qualitativa através da escala SERVQUAL adaptada a realidade do parque e assim entender o nível de satisfação dos usuários, identificando pontos de melhorias. Os dados foram coletados em 3 etapas: visita ao setor de planejamento urbano para uma entrevista com o gestor, bem como realização de observação sistemática in loco e aplicação de questionários no parque Camaragibe junto aos usuários praticantes de atividade física. Foram definidos doze atributos, importantes por promover bem estar e atender as necessidades dos usuários. Este trabalho pode ser classificado como um trabalho de levantamento de campo, do tipo descritivo e de abordagem qualitativa, tendo como instrumento de coleta de opiniões o questionário estruturado. Para avaliação das questões de Expectativa (E) e Percepção (P), foi utilizado a escala Likert adaptado para 5, sendo distribuída em 1 “discordo totalmente”, 2 “discordo”, 3 “nem concordo e nem discordo”, 4 “concordo” e 5 “concordo totalmente”. Analisando os dados, foi possível identificar que a presença de profissionais de segurança, presença de profissional de educação física e disponibilidade de banheiros acessíveis/limpos foram as variáveis que apresentaram maiores gap’s entre expectativa (E) e percepção (P), sendo assim caracterizado como críticas.pt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record