Show simple item record

dc.creatorLima, Maria Alícia de Souza Leão Silva
dc.date.accessioned2022-05-26T19:06:42Z
dc.date.available2022-05-26T19:06:42Z
dc.date.issued2022-05-16
dc.identifier.citationSANTOS, Maynara Vinícia et al. Método canguru: levantamento e correlações sobre o perfil clínico dos recém-nascidos no Hospital Jesus Nazareno em 2019. 2022. 11 f. Artigo (Bacharelado em Enfermagem) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Pernambuco, Pesqueira, 2022.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ifpe.edu.br/xmlui/handle/123456789/614
dc.description.abstractObjective: the objective was to characterize the sociodemographic and clinical aspects of the NB and to identify the main therapies used, the clinical complications in the NB in the Rooming-in - Kangaroo Method (AC-MC), at the Jesus Nazareno Maternity. Methodology: Documentary, retrospective and quantitative study, the study site was the Kangaroo Accommodation of the Jesus Nazareno Hospital, located in the city of Caruaru-PE, the sample consisted of 143 medical records of the NB admitted to the Kangaroo Accommodation from January to December 2019. Results: they were structured in discursive categories, namely: Sociodemographic and maternal educational characterization; Maternal obstetric characterization; Clinical characterization of newborns at birth; Characterization of the clinical profile of NBs in the NICU; Clinical characterization of newborns during hospitalization at AC-MC; Clinical profile of the newborn from birth to hospital discharge. Final considerations: therefore, the NB present a good evolution, helping in the adequate weight gain; encouragement of exclusive breastfeeding; strengthening the bond between the binomial; improvement in the mother-baby bond; thermal control; evolution of vital signs; helps cognitive and motor development; reduces levels of infection and readmissions of premature newborns; it reduces the length of stay and brings results, as well as reducing morbidity and mortality and costs for institutions and for health in general.pt_BR
dc.format.extent11 p.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.relationARAÚJO, J. P. et al. História da saúde da criança: conquistas, políticas e perspectivas. Revista Brasileira de Enfermagem, v. 67, n. 6, p. 1000-1007, 2014. Disponível em: https://doi.org/10.1590/0034-7167.2014670620. Acesso 6 ago 2019. BOCCOLINI, C. S. et al. Tendência de indicadores do aleitamento materno no Brasil em três décadas. Revista de Saúde Pública, v. 51, p. 108, 2017. Disponível em: https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2017051000029. Acesso em: 15 fev. 2022. BRASIL. Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas e Estratégicas. Ministério da Saúde. Brasília, 2014. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_saude_recem_nascido_v1.pdf. ______. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso: Método Canguru: manual técnico Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Ministério da Saúde, 2. ed., 1. reimpr. Brasília, 2013. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_recem_nascido_c anguru.pdf. Acesso em: 14 jun. 2021. ______. Atenção humanizada ao recém-nascido: Método Canguru: Manual técnico/ Ministério da Saúde. Secretária de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas – 3o ed. Brasília, 2017. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/atencao_humanizada_metodo_canguru _manual_3ed.pdf. ______. Método canguru: diretrizes do cuidado. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas Estratégicas. Brasília, 2018. Disponível em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/metodo_canguru_diretrizes_cuidado_rev isada.pdf. ______. Resolução no 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 24 maio 2016. Acesso em 03 dez, 2019. Disponível: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2016/Reso510.pdf. CHAWANPAIBOON S, et al. Global, regional, and national estimates of levels of preterm birth in 2014: a systematic review and modelling analysis. Lancet Glob Health 2019;7:e37–46 Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2214109X18304510. Acesso em 28 out. 2019. CIRICO, M. O. V.; SHIMODA, G. T.; OLIVEIRA, R. N. G. Qualidade assistencial em aleitamento materno: implantação do indicador de trauma mamilar. Revista Gaúcha de Enfermagem. v. 37, n. 4, dez. 2017. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1983- 1447.2016.04.60546. Acesso em: 19 fev. 2022. DIAS, J. P. et al. Perfil clínico de neonatos internados em uma Unidade de Tratamento Intensivo Neonatal. Brazilian Journal of Development. Curitiba, v. 5, n. 10, p.22296-22309, out. 2019. Doi: https://doi.org/10.34117/bjdv5n10-356. Acesso em: 15 fev. 2022. FARIAS, R. V.; SOUZA, Z. C. S. do N.; MORAIS, A. C. Prática de cuidados imediatos ao recém-nascido: uma revisão integrativa de literatura. Revista Eletrônica Acervo Saúde. v. sup., n. 56. 2020. Doi: https://doi.org/10.25248/reas.e3983.2020. Acesso em: 19 fev. 2022. FERREIRA, Débora de Oliveira et al. Método canguru: percepções sobre o conhecimento, potencialidades e barreiras entre enfermeiras. Escola Anna Nery, v. 23, n. 4,2019. Disponivel em: https://doi.org/10.1590/2177-9465-ean-2019-0100. GONTIJO, T. L.; XAVIER, C. C.; FREITAS, M. I. F. Avaliação da implantação do Método Canguru por gestores, profissionais e mães de recém-nascidos. Cadernos de Saúde Pública, v. 28, p. 935-944, 2012. Disponível: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2012000500012. Acesso em: 17 out. 2019. GUEDES, Terezinha Aparecida et al. Estatística descritiva. Projeto de ensino aprender fazendo estatística, p. 1-49, 2005. Disponível em: https://www.ime.usp.br/~rvicente/Guedes_etal_Estatistica_Descritiva.pdf. https://bmcpediatr.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12887-016-0769-5. Acesso em: 17 out. 2019. LOPES, W. da S.; GUIMARÃES, J. E. V. Benefícios da ventilação não invasiva na apneia do sono em recém-nascido. Revista Ibero-Americana de Humanidades, Ciências e Educação. v. 7, n. 10, p. 2825–2837, 2021. Doi: 10.51891/rease.v7i10.2949. Acesso em: 12 fev. 2022. MEDEIROS, A. M. C. et al. Tempo de transição alimentar na técnica sonda-peito em recém-nascidos baixo peso do Método Canguru. CoDAS. v. 30, n. 2. 2018. Doi: https://doi.org/10.1590/2317-1782/20182017092. Acesso em: 13 fev. 2022. MÓL, Gerson Souza. Pesquisa qualitativa em ensino de química. Revista Pesquisa Qualitativa, v. 5, n. 9, p. 495-513, 2017. Disponível em: https://editora.sepq.org.br/rpq/article/view/140/96. Acesso em: 14 fev. 2022. SALES, I. M. M. et al. Sentimentos de mães na unidade canguru e as estratégias de suporte dos profissionais de enfermagem. Revista Cuidarte, v. 9, n. 3, p. 12, 2018a. Acesso 12 ago. 2019. Disponível: http://www.scielo.org.co/pdf/cuid/v9n3/2216-0973- cuid-9-3-2413.pdf. SALES, I. M. M.; et al. Contribuições da equipe de enfermagem na segunda etapa do Método Canguru: Implicações para a alta hospitalar do recém-nascido. Revista Anna Nery. Rio de Janeiro. v. 22, n. 4, 2018b. Acesso 12 ago. 2019. Disponível: http://www.scielo.br/pdf/ean/v22n4/pt_1414-8145-ean-22-04-e20180149.pdf. Acesso em: 25 jan. 2022. TEDESCO, N. M. et al. Influência da intervenção sensório-motora no sistema respiratório de recém-nascidos prematuros. ConScientia e Saúde. v. 17, n. 1, p. 11- 18. 2018. Disponível em: https://periodicos.uninove.br/saude/article/view/7478/3725. Acesso em: 18 fev. 2022. TEIXEIRA, M. A. et al. Perfil de prematuros em atendimento fonoaudiológico em um ambulatório de follow up. Audiology-Communication Research. v. 27, 2022. Disponível em: https://doi.org/10.1590/2317-6431-2020-2430. Acesso em 03 mar. 2022. VIEIRA, V. C. et al. Prescrição de medicamentos off-label e sem licença para prematuros de unidade de terapia intensiva neonatal. Revista Brasileira de Terapia Intensiva. v. 33, n. 2, abr.-jun. 2021. Doi: https://doi.org/10.5935/0103- 507X.20210034. Acesso em: 15 fev. 2022.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectMétodo Cangurupt_BR
dc.subjectRecém-Nascidopt_BR
dc.subjectRecém-Nascido de Baixo Pesopt_BR
dc.subjectRecém-Nascido Prematuropt_BR
dc.titleMétodo canguru: levantamento e correlações sobre o perfil clínico dos recém-nascidos no Hospital Jesus Nazareno em 2019pt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/9311130853703097pt_BR
dc.contributor.advisor1Lélis, Ana Luíza Paula de Aguiar
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/3974803434216590pt_BR
dc.contributor.advisor-co1Pedrosa Filho, Manoel Henrique de Oliveira
dc.contributor.advisor-co1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7682414205749935pt_BR
dc.contributor.referee1Rocha, Luanna dos Santos
dc.contributor.referee2Melo, Daniela Bezerra de
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4704596859197024pt_BR
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/3825599754419067pt_BR
dc.publisher.departmentPesqueirapt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS DA SAUDEpt_BR
dc.description.resumoObjetivo: objetivou-se caracterizar os aspectos sociodemográficos, clínicos dos RN e identificar as principais terapias utilizadas, as complicações clínicas nos RN no Alojamento Conjunto – Método Canguru (AC-MC), na Maternidade Jesus Nazareno. Metodologia: Estudo documental, retrospectivo e de caráter quantitativo, local do estudo foi o Alojamento Canguru do Hospital Jesus Nazareno, localizado na cidade de Caruaru-PE, a amostra foi composta por 143 prontuários dos RN admitidos no Alojamento Canguru no período de janeiro a dezembro de 2019. Resultados: foram estruturados em categorias discursivas, sendo elas: Caracterização sociodemográfico e educacional materna; Caracterização obstétrica materna; Caracterização clínica dos RN no nascimento; Caracterização do perfil clínico dos RN na UCIN; Caracterização clínica dos RN durante internação no AC-MC; Perfil clínico do RN no momento do nascimento até alta hospitalar. Considerações finais: portanto, os RN apresentam uma boa evolução, auxilio no ganho de peso adequado; estímulo do aleitamento materno exclusivo; fortalecimento do vínculo entre o binômio; melhora no vínculo mãe-bebê; controle térmico; evolução dos sinais vitais; ajuda o desenvolvimento cognitivo e motor; reduz os níveis de infecção e reinternações de recém-nascidos prematuros; diminui o tempo de internação e traz resultados, assim como atua também na redução a morbimortalidade e custos para as instituições e para saúde no geral.pt_BR
dc.creator.name2Santos, Maynara Vinícia
dc.creator.Lattes2http://lattes.cnpq.br/1748315883608817pt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record