Show simple item record

dc.creatorViana Neto, Jaime de Queiroz
dc.date.accessioned2022-02-10T17:49:06Z
dc.date.available2022-02-10T17:49:06Z
dc.date.issued2021-12-17
dc.identifier.citationVIANA NETO, Jaime de Queiroz. Uma análise literária da tensão entre masculinidades na letra da canção "Suporto perder", de Igor de Carvalho e Flaira Ferro. 2021. 21 f. Monografia (Especialização) - Curso de Linguagem e Práticas Sociais, Instituto Federal de Pernambuco, Garanhuns, 2021.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ifpe.edu.br/xmlui/handle/123456789/410
dc.description.abstractThis article aims to analyze and discuss the configurations of masculinities expressed in the lyrics of the contemporary Brazilian song "Suporto Perder", taking into account its literary aspect. The investigation, which is a qualitative research (MINAYO, 1994) of bibliographic nature (GIL, 2012; MARCONI; LAKATOS, 2003), mobilized theoretical references that thematize studies on gender (SCOTT, 1995), the concepts of hegemonic and non-hegemonic masculinity (CONNELL; MESSERSCHMIDT, 2013), the way it can be thought of in the Brazilian context (HONÓRIO, 2012), relations between literature and music with an emphasis on song (OLIVEIRA, 2020) and the poetization of Brazilian popular music focusing on the literary aspect of song lyrics, which is constituted by the use of literary resources in its composition (RENNÓ, 2003; CAVALCANTI, 2008). The analysis and discussion of the lyrics show that a tension that occurs between the non-hegemonic form of masculinity of the lyrical self and the form of hegemonic masculinity of the interlocutor to whom it is addressed is represented in it. This tension is built esthetically through the use of literary resources that materialize its poetization while emulate, in the expression plane of the lyric, this tension between forms of masculinities under which it is built. It is hoped that this article will contribute to researches that promote dialogues between studies on men and masculinities and Brazilian music, as well as to the study of dynamics involving masculinities that are at stake in Brazilian society and have gained more evidence in public debate in recent yearspt_BR
dc.format.extent21 p.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.relationCARVALHO, I; FERRO, F. Suporto perder. Vagalume, 2019. Disponível em: https://www.vagalume.com.br/igor-de-carvalho/suporto-perder.html . Acesso em: 14 de mai. de 2021. CAVALCANTI, L. M. D. Música Popular Brasileira, poesia menor? Revista Travessias, Cascavel, v. 3, p. 01-33, 2008. CONNELL, R. W.; MESSERSCHMIDT, J. W. Masculinidade hegemônica: repensando o conceito. Revista Estudos Feministas, Florianópolis, v. 21, n. 1, p. 241-282, 2013. FRANÇA, V. R. V.; VIEIRA, V. H. Universo sertanejo: amor traído e Bolsonaro. Revista Mídia e Cotidiano, Niterói, v. 15, n. 1, p. 6-28, 2021. HONÓRIO, M. D. Cachaceiro e raparigueiro, desmantelado e largadão! Uma contribuição aos estudos sobre homens e masculinidades na região Nordeste do Brasil. 2012. Tese (Doutorado em Ciências Sociais) - Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual Paulista, Campus de Araraquara, Araquara, 2012. MINAYO, M. C. S. Ciência, técnica e arte: o desafio da pesquisa social. In: ______ et al. (org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21ª ed. Petrópolis: Vozes, p. 9-29, 1994. OLIVEIRA, S. R. de. Introdução à melopoética: a música na literatura brasileira. In: OLIVEIRA, S. R. de. (org.). Literatura e música. São Paulo: Senac/Instituto Itaú Cultural, p. 17-48, 2003. OLIVEIRA, S. R. de. Leituras Intersemióticas: a contribuição da melopoética para os estudos culturais. Cadernos de tradução, v. 1, n. 7, p. 293-308, 2001. OLIVEIRA, S. R. de. Literatura e música: união indissolúvel. Revista Internacional em Língua Portuguesa, n. 37, p. 93-114, 2020. REIS, C. A literatura como instituição. In: REIS, C. O conhecimento da literatura: introdução aos estudos literários. Porto Alegre: Edipucrs, p. 19-63, 2013. RENNÓ, C. Poesia literária e poesia de música: convergências. In: OLIVEIRA, S. R. de. (org.). Literatura e música. São Paulo: Senac/Instituto Itaú Cultural, p. 49-71, 2003. SCOTT, J. Gênero: uma categoria útil de análise histórica. Revista Educação & realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, p. 71-99, 1995.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectGêneropt_BR
dc.subjectMasculinidadespt_BR
dc.subjectLiteratura e músicapt_BR
dc.subjectLetra de cançãopt_BR
dc.titleUma análise literária da tensão entre masculinidades na letra da canção "Suporto perder", de Igor de Carvalho e Flaira Ferropt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/1527998440766879pt_BR
dc.contributor.advisor1Costa, Maria Rosane Alves da
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/9055641750074564pt_BR
dc.contributor.referee1Silva, José Aldo Ribeiro da
dc.contributor.referee2Costa, Maria Rosane Alves da
dc.contributor.referee3Nunes, Valfrido da Silva
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/2043156287288552pt_BR
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/9055641750074564pt_BR
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/8859607470653114pt_BR
dc.publisher.departmentGaranhunspt_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.subject.cnpqLINGUISTICA, LETRAS E ARTES::ARTESpt_BR
dc.description.resumoEste artigo tem como objetivo analisar e discutir as configurações de masculinidades expressas na letra da canção brasileira contemporânea "Suporto Perder", levando em conta seu aspecto literário. A investigação, que se trata de uma pesquisa qualitativa (MINAYO, 1994) de cunho bibliográfico (GIL, 2012; MARCONI; LAKATOS, 2003), mobilizou referenciais teóricos que tematizam os estudos sobre gênero (SCOTT, 1995), o conceito de masculinidade hegemônica e não hegemônica (CONNELL; MESSERSCHMIDT, 2013), a forma como ele pode ser pensado no contexto brasileiro (HONÓRIO, 2012), as relações entre literatura e música com ênfase na canção (OLIVEIRA, 2020) e a poetização da música popular brasileira focando no aspecto literário de letras de canção, que é constituído pelo uso de recursos literários em sua composição (RENNÓ, 2003; CAVALCANTI, 2008). A análise e a discussão da letra dão conta de que uma tensão que se dá entre a forma de masculinidade não hegemônica do eu-lírico e a forma de masculinidade hegemônica do interlocutor a quem se dirige está representada nela. Esse tensionamento é construído esteticamente por meio da utilização de recursos literários que concretizam sua poetização ao passo que emulam, no plano de expressão da letra, essa tensão entre formas de masculinidades sob a qual está construída. Espera-se que este artigo contribua para as pesquisas que promovem diálogos entre os estudos sobre homens e masculinidades e a música brasileira bem como para o estudo de dinâmicas envolvendo masculinidades que estão em jogo na sociedade brasileira e ganharam mais evidência no debate público nos últimos anospt_BR


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record