Show simple item record

dc.creatorSantos, Catharina Pereira
dc.date.accessioned2022-03-18T12:23:41Z
dc.date.available2022-03-18T12:23:41Z
dc.date.issued2020-11-30
dc.identifier.citationSANTOS,Catharina Pereira.; NASCIMENTO, Karina Laís Irineu do ; PINTO, Victor Vinícius Nobrega. Aplicativo para o centro cultural cais do sertão com acessibilidade comunicacional para surdos e ensurdecidos. 2020.91f. TCC (Curso Superior Tecnológico em Gestão em Turismo) – Departamento Acadêmico de Cultura Geral, Formação de Professores e Gestão, Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Pernambuco. Recife.2020.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ifpe.edu.br/xmlui/handle/123456789/413
dc.description.abstractThe cultural tourism is a segment of tourism that is earning more and more space in the market, mainly because of the different productions and cultural expressions of each place. However, when it is produces projects to facilitate the access of all individuals to these environments, there are some social groups that are not benefited. Despite the attempt to make these places more accessible for people with disabilities, the proposed accessibility tends to be limited only to architectural interventions, forgetting communicational accessibility (AC), turned to at deaf people. Thus, it was proposed an app with communication accessibility for the deaf and deafened at Cais do Sertão, as it is a space of big cultural importance and well located at the center of Recife, with the aim of offering more autonomy for these individuals during the visitation. To achieve this goal, it is necessary to promote the use of assistive technologies, stimulate the cultural involvement of the deaf population and encourage the visitation of deaf people to the cultural center. Then, interviews were conducted with the management of Cais do Sertão and application of questionnaires with deaf people to verify the current situation of accessibility in the place. In view of this, it was noticed that the museum is not accessible for deaf people, and it is necessary to develop methodologies to assist in the visitation of the museum, confirming our initial hypothesis that the Cais do Sertão Cultural Center lacks accessibility for deaf people.pt_BR
dc.format.extent91f.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.relationAMARO, Daniel. Quase 10 milhões de brasileiros possuem deficiência auditiva. Jornal Edição do Brasil, Belo Horizonte, 08 jul. 2017. Disponível em: http://edicaodobrasil.com.br/2017/06/08/quase-10-milhoes-de-brasileirospossuem-deficiencia-auditiva/. Acesso em: 15 mar. 2018. ANDRADE, Lívia. A Inclusão do Surdo na Atividade do Turismo Através do Uso de Libras. 2001. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Turismo) – Fundação Visconde de Cairu, Salvador, 2011. Disponível em: https://www.cairu.br/revista/arquivos/artigos/ARTIGO_LIVIA_turismo.pdf. Acesso em: 09 mar. 2019. ARAÚJO, V.; VIEIRA, P.; MONTEIRO, S. Legendagem para surdos e ensurdecidos (LSE): Um estudo de recepção com surdos da região Sudeste. TradTerm, São Paulo, v. 22, dez. 2013, p. 283. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/tradterm/article/view/69132/71589. Acesso em: 18 jan. 2020. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. Referências bibliográficas: NBR 9050. Rio de Janeiro, 2004. AUMENTA inclusão de alunos com deficiência, mas escolas não têm estrutura para recebê-los. O Globo, 31 jan. 2018. Disponível em: https://oglobo.globo.com/sociedade/educacao/aumenta-inclusao-de-alunos-com- deficiencia-mas-escolas-nao-tem-estrutura-para-recebe-los-22348736. Acesso em: 21 de ago. de 2019 BARRETO, Margarita. Manual de iniciação ao estudo do turismo. 20. ed. Campinas: Papirus, 2012. BORGES, Josana. Desenvolvimento de aplicativo para pessoas com deficiência a pontos de lazer, cultura e esporte da cidade de Uberlândia, MG. 2016. Dissertação (Mestrado em Engenharia Civil) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2016. Disponível em: http://doi.org/10.14393/ufu.di.2016.600. Acesso em: 08 set. 2019. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988. BRASIL. Ministério do Turismo. Gasto de turistas estrangeiros no Brasil cresce 6% no primeiro semestre. 26 jul. 2018. Disponível em: http://antigo.turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not%C3%ADcias/11707-gasto-deturistas-estrangeiros-no-brasil-cresce-6-no-primeiro-semestre.html. Acesso em: 20 ago. 2019. BRASIL. Ministério do Turismo. Secretaria Nacional de Políticas de Turismo. Departamento de Estruturação. Articulação e Ordenamento Turístico. Coordenação-Geral de Segmentação. Turismo Cultural: orientações básicas. 3. ed. Brasília: Ministério do Turismo, 2010. BRASIL. Presidência da República. Secretaria de Direitos Humanos. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência; Brasil. Coordenação-Geral do Sistema de informações sobre a pessoa com Deficiência; Oliveira, Luiza Maria Borges. Cartilha do Censo 2010: pessoas com deficiência. Brasília: SDH-PR/SNPD, p. 32, 2012. BRASIL tem 12 dos 25 melhores museus da América do Sul, diz pesquisa. NOSSA UOL, São Paulo, set. 2015. Disponível em: https://viagem.uol.com.br/noticias/2015/09/22/brasil-tem-12-dos-25-melhores- museus-da-america-do-sul-diz-pesquisa.htm. Acesso em: 25 de mai. de 2019. BRASIL. Turismo Acessível: Introdução a uma Viagem de Inclusão. Ministério do Turismo, Brasília:, v. 1, p. 48, 2009. BRASIL. Turismo Acessível: Mapeamento e Planejamento do Turismo Acessível nos Destinos Turísticos. Ministério do Turismo. Brasília: Ministério do Turismo, v., 2, p. 52, 2009. CINTRA, Roberta. O Turismo e a Libras: um estudo sobre a inclusão da Língua Brasileira de Sinais como um dos meios de comunicação no Turismo. Faculdade Metropolitana da Grande Recife, Jaboatão dos Guararapes, 2008. Disponível em: http://www2.setur.pe.gov.br/c/document_library/get_file?p_l_id=22082&folderId=3 0802&name=DLFE-2004.pdf. Acesso em: 11 jan. 2019. COHEN, Regina; DUARTE, C. R. de S.; BRASILEIRO, A. de B. H. Acessibilidade a Museus. Brasília, DF: Ministério da Cultura/Ibram, v. 2, 2012. Disponível em: https://www.museus.gov.br/wpcontent/uploads/2013/07/acessibilidade_a_museu_miolo.pdf. Acesso em: 08 jun. 2018. FERREIRA, André; DEMUTTI, Carolina; GIMENEZ, Paulo. A Teoria das Necessidade de Maslow: A Influência do Nível Educacional sobre a sua Percepção no Ambiente de Trabalho. In: XIII Semed – Seminarios em Adminstração, set. de 2010. Anais [...]. [s. l.], 2010. ISSN 2177-3866. Disponível em: http://sistema.semead.com.br/13semead/resultado/trabalhosPDF/703.pdf. Acesso em 04 mar. 2019. GOMES, Juliana. Museu Cais do Sertão é eleito melhor obra do ano. FolhaPE. 24 abr. 2019. Roberta Jungmann. Disponível em: https://robertajungmann.com.br/2019/04/24/museu-cais-do-sertao-e-eleitomelhor-obra-do-ano/. Acesso em: 17 fev. 2020 . INTENÇÃO de viajar tem alta de 8% em setembro. Jornal do Comércio, Porto Alegre, 10 out. 2016. Caderno de Econômia. Disponível em: https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/2016/10/economia/525326- intencao-de-viajar-tem-alta-de-8-em-setembro.html. Acesso em: 17 maio 2019. JAMILDO, Blog do. Governo entrega segundo módulo do Cais do Sertão. Jornal do Commercio. 08 jul. 2018. Disponível em: https://jc.ne10.uol.com.br/blogs/jamildo/2018/07/08/governo-entrega-segundomodulo-do-cais-dosertao/index.html#:~:text=Centro%20Cultural%20Cais%20do%20Sert%C3%A3o& text=As%20obras%20complementares%20do%20Cais,anexo%20ao%20Museu% 20Luiz%20Gonzaga. Acesso em 20 abr. 2020. JESUS, Dayane; ROCHA, Cristina; SANTOS, Aline. QR Code e Língua Brasileira de Sinais (Libras): um desafio de acessibilidade e autonomia a visitantes Surdos no Museu de Ciências Naturais da PUC. Revista Tecnologias na Educação, ano 9, v. 22, n. 22, ed. 6, Out. 2017. Disponível em: http://tecedu.pro.br/wpcontent/uploads/2017/10/Art8-vol.22-Edi%C3%A7%C3%A3o-Tem%C3%A1tica-VIOutubro-2017.pdf. Acesso em: 22 de jan. 2020. JUNQUEIRA, Nádia. O que são OS ou organizações socais? A redação. 28 ago. 2011. Disponível em: https://www.aredacao.com.br/noticias/2422/o-que-sao-osou-organizacoes-sociais. Acesso em: 02 de jan. de 2020. KOERBEL, Alan. Qual a equipe necessária e quanto custa pra criar um app? Esauce Blog. Disponível em: https://www.esauce.com.br/blog/qual-equipe-necessaria-e-quanto-custa-criar-umapp/. Acesso em: 15 mai 2019. KÖHLER, André; DURAND, José. Turismo Cultural: conceituação, fontes de crescimento e tendências. Turismo - Visão e Ação, v. 9, n. 2, p. 185, mai./ago. 2007. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rtva/article/view/204/174. Acesso em: 13 jul. 2019. LOPES, Kleber. Turismo: O Surdo e a Viagem. Orientador: Ana Rosa Domingues dos Santos. 2017. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharela do em Turismo) – Universidade de Brasília, Brasília, 2017. Disponível em: https://bdm.unb.br/bitstream/10483/18052/1/2017_KleberHenriqueLopes_tcc.pdf. Acesso em: 25 jun. 2019 MARTINS, André. Cresce a participação do Turismo no PIB nacional. Ministério do Turismo, 07 mar. 2019. Disponível em: http://www.turismo.gov.br/%C3%BAltimas-not%C3%ADcias/12461-cresce-a- participa%C3%A7%C3%A3o-do-turismo-no-pib-nacional.html. Acesso em: 17 mai. 2019. MAUCH, Carla et al. Guia Orientador para Acessibilidade de Produções Audiovisuais. Brasília: Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, 2015. Disponível em: https://www.camara.leg.br/internet/agencia/pdf/guia_audiovisuais.pdf. Acesso em: 03 ago 2019. MEDEIROS, Marília. O design para a experiência na expografia do museu: A relação entre o ambiente da exposição e a recepção do público no museu Cais do Sertão. 2017. Universidade Federal de Campina Grande, Centro de Ciências e Tecnologia, Campina Grande, 2017. Disponível em: http://dspace.sti.ufcg.edu.br:8080/xmlui/bitstream/handle/riufcg/647/MAR%c3%8dL IA%20MACEDO%20MEDEIROS%20%e2%80%93%20DISSERTA%c3%87%c3% 83O%20%28PPGDesign%29%202017.pdf?sequence=1&isAllowed=y. Acesso em: 22 nov. 2019. MONTEIRO, Myrna. História dos movimentos dos surdos e o reconhecimento da Libras no Brasil. ETD - Educação Temática Digital, Campinas, SP, v. 7, n. 2, p. 292, 2008. DOI: 10.20396/etd.v7i2.810. Disponível em: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/etd/article/view/810. Acesso em: 01 set 2019. NASCIMENTO, Eduardo; UVINHA, Ricardo. Programa turismo acessível na cidade de São Paulo: reflexões e possibilidades. Revista Turydes: Turismo y Desarrollo, São Paulo, n. 20, jun. 2016. Disponível em: https://www.eumed.net/rev/turydes/20/acessibilidade.html. Acesso em: 27 jun. 2019. O que é o porto digital. Porto Digital. Disponível em: https://www.portodigital.org/parque/o-que-e-o-porto-digital. Acesso em: 20 abr. 2020. OLIVEIRA, Margarete de. Cultura e inclusão na educação em museus: processos de formação em mediação para educadores surdos. Orientador: Camilo de Melo Vasconcelos. 2015. Dissertação (Mestrado de Museologia) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/103/103131/tde-12112015-165232/. Acesso em: 14 ago. 2019. PERNAMBUCO (Estado). Secretaria de Desenvolvimento social, criança e juventude. Superintendência Estadual de Apoio à Pessoa com Deficiência. [Recife]: Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude. Disponível em: http://www.portais.pe.gov.br/web/sedsdh/secretaria/orgaos-vinculados/sead. Acesso em: 15 mar 2018. REIS, André; GUIMARÃES, Mara. A Deficiência da Comunicação do Trade Turístico no Uso da Libras. 11. ed. Petrópolis, RJ: EAA-Editora ARARA AZUL Ltda; Revista Virtual de Cultura Surda, jul. 2013. ISSN 19826842. Disponível em: https://www.yumpu.com/pt/document/read/51742172/09-a-deficiencia-dacomunicacao-do-trade-editora-arara-azul. Acesso em 06 jan. 2020. RIZZO-SILVEIRA, Renata. O design de catálogos de museus para dispositivos móveis. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014. Disponível em: https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/116789/000964597.pdf?sequence=1 &isAllowed=y. Acesso em: 19 dez. 2019. SASSAKI, Romeu Kazumi. Inclusão: acessibilidade no lazer, trabalho e educação. Revista Nacional de Reabilitação (Reação), São Paulo, ano 7, p. 10 mar./abr. 2009. Disponível em: https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/211/o/SASSAKI__Acessibilidade.pdf?1473203319. Acesso em: 11 out. 2018. SILVA, Franklin et al. Tecnologias Assistivas e suas Aplicações: Uma Análise a partir de Patende. Revista de Gestão em Sistemas de Saúde. São Paulo, v. 7, n. 1, p. 1, jan./abr. 2018. Disponível em: http://www.revistargss.org.br/ojs/index.php/rgss/article/view/393/224. Acesso em: 23 ago. 2019 SILVA, João; ROJAS, Angelina; TEXEIRA, Gerlinde. Acessibilidade comunicacional aos surdos em ambientes culturais. Conhecimento & Diversidade. Niterói, n. 13, p. 103 jan./jun. 2015. Disponível em: https://revistas.unilasalle.edu.br/index.php/conhecimento_diversidade/article/vie w/1787/1427. Acesso em: 29 ago. 2019 SILVA, Natalia et al. A utilização da matriz SWOT como ferramenta estratégia: um estudo de caso em uma escola de idioma de São Paulo. In: VIII Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia. Anais [...] Resende, RJ: out. de 2011. Disponível em: https://www.aedb.br/seget/arquivos/artigos11/26714255.pdf. Acesso em: 05 set. 2019 SMITH, Matthew; AMORIM, Ericka; SOA RES, Cláudia. O turismo acessível como vantagem competitiva: implicações na Figura do destino turístico. PASOS. Revista de Turismo y Patrimonio Cultural, El Sauzal, v. 11, n. 3, p. 97, jul. 2013. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/881/88128048010.pdf. Acesso em: 18 ago. 2019. TENENTE, Luiza. Total de alunos com deficiência em escolas comuns cresce 6 vezes em 10 anos. G1, 22 jul. 2016. Disponível em: https://g1.globo.com/educacao/noticia/total-de-alunos-especiais-em-escolascomuns-cresce-6-vezes-em-10-anos.ghtml. Acesso em: 15 mar 2018. VISITA guiada: Panorama das condições de acessibilidade nos espaços culturais do Recife. Diario De Pernambuco, 24 set. 2015. Disponível em: https://www.diariodepernambuco.com.br/noticia/viver/2015/09/visita-guiadapanorama-das-condicoes-de-acessibilidade-nos-espacos-culturais-do-recife.html. Acesso em: 01 set 2019.pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.subjectAcessibilidadept_BR
dc.subjectMuseupt_BR
dc.subjectPessoa Surdapt_BR
dc.subjectCais do Sertãopt_BR
dc.titleAplicativo para o centro cultural cais do sertão com acessibilidade comunicacional para surdos e ensurdecidospt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/7201531346225889pt_BR
dc.contributor.advisor1Fernandes, Bruna Galindo Moury
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/4528528286568490pt_BR
dc.contributor.referee1Santos, Rodrigo José de Albuquerque Marinho Ataíde dos
dc.contributor.referee2Silva, Andreza da Nóbrega Arruda
dc.contributor.referee3Silva, Luciana Pereira da
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/0908925796576344pt_BR
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/4247854398308661pt_BR
dc.contributor.referee3Latteshttp://lattes.cnpq.br/6010670385029393pt_BR
dc.publisher.departmentRecifept_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::TURISMOpt_BR
dc.description.resumoO turismo cultural é um segmento turístico que vem ganhando cada vez mais espaço no mercado, principalmente por se tratar das diferentes produções e expressões culturais de cada lugar. Entretanto, ao produzir projetos para facilitar o acesso de todos os indivíduos a esses ambientes, existem alguns grupos sociais que não são beneficiados. Apesar da tentativa de tornar esses locais mais acessíveis para as pessoas com deficiência, a acessibilidade proposta tende a se limitar apenas em intervenções arquitetônicas, esquecendo-se da acessibilidade comunicacional (AC), voltada para pessoas surdas. Dessa forma, se propôs a elaboração de um aplicativo com acessibilidade comunicacional para surdos e ensurdecidos sobre o Cais do Sertão, por se tratar de um espaço de grande importância cultural e bem localizado no centro do Recife, com o intuito de oferecer maior autonomia para esses indivíduos durante a visitação. Para alcançar este objetivo, é necessário a promoção do uso das tecnologias assistivas, estimular o envolvimento cultural da população surda e incentivar a visitação de pessoas surdas ao centro cultural. Então, realizou-se entrevistas com a gestão do Cais do Sertão e aplicação de questionários com surdos para constatar a atual situação da acessibilidade no local. Diante disso, percebeu-se que o museu não é acessível para pessoas surdas, sendo necessário desenvolver metodologias para auxiliar na visitação do museu, confirmando nossa hipótese inicial de que o Centro Cultural Cais do Sertão carece de acessibilidade para pessoas surdas.pt_BR
dc.creator.name2Nascimento, Karina Laís Irineu do
dc.creator.Lattes2http://lattes.cnpq.br/3018646702515246pt_BR
dc.creator.ID3092.162.254-67pt_BR
dc.creator.Lattes3http://lattes.cnpq.br/4599127588163921pt_BR
dc.creator.name3Pinto, Victor Vinicius Nóbrega


Files in this item

Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record