Show simple item record

dc.creatorSilva, Jhowan Gabryell Torres da
dc.date.accessioned2023-11-30T01:33:29Z
dc.date.available2023-11-30T01:33:29Z
dc.date.issued2023-07-27
dc.identifier.citationSILVA, Jhowan Gabryell Torres da Silva. Análise espaço-temporal da balneabilidade em Pernambuco: o comportamento das praias de Paulista, Olinda, Recife e Jaboatão dos Guararapes nos anos de 2021 e 2022. 2023. 84 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Curso de Licenciatura em Geografia) - Instituto Federal de Ciência e Tecnologia de Pernambuco, Recife, 2023.pt_BR
dc.identifier.urihttps://repositorio.ifpe.edu.br/xmlui/handle/123456789/1108
dc.description.abstractThe swimmability is an info that’s directly related to the basic sanitation, who has medium-low reference values in Recife’s metropolitan area (RMR), who reflects negatively in the quality of the water. Knowing that beaches are a very popular areas, these leisure spaces lose their potential of use when show the water resources inappropriate for the activities programmed to be developed there. This thesis rated the Environment State Agency’s (CPRH) results from 2021 to 2022 in the 4 cities who exhibited the most expressive numbers of population in the selected zone, being them: Paulista, Olinda, Recife e Jaboatão dos Guararapes. Since the swimmability is a multidimensional and interdisciplinar data, its research and analysis turns possible that precises improvements could happens in many sectors of social interest, from a collective health to the coastal tourism, becoming essential for a sustainable development founded in the harmony and the balance of the human-nature-society’s relationship.pt_BR
dc.format.extent84 p.pt_BR
dc.languagept_BRpt_BR
dc.relationAGÊNCIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE. Balneabilidade das Praias. Recife, 03 jul. 2023. Disponível em: https://www2.cprh.pe.gov.br/monitoramento-ambiental/balneabilidade/. Acesso em: 07 set. 2023. AGÊNCIA ESTADUAL DE PLANEJAMENTO E PESQUISAS DE PERNAMBUCO. Base de Dados do Estado. Recife, 03 jul. 2023. Disponível em: http://www.bde.pe.gov.br/site/ConteudoRestrito2.aspx?codGrupoMenu=458&codPermissao= 5. Acesso em: 07 set. 2023. ALENCAR, S. L. D. Do sal e do sol: práticas turísticas e conflitos sociais na construção de um espaço turístico: Boa Viagem-PE (1950). 2016. Dissertação (Mestrado em Artes, Ciências e Humanidades) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. ALVES, L. D. S; MACHADO, B. B. N.; OLIVEIRA, D. F. D. Balneabilidade das praias do litoral de Salvador (Bahia): investigação da interferência da precipitação nas densidades de Escherichia coli. Revista Brasileira de Meio Ambiente, Recife, v. 8, n. 4, p. 161-174, mai./ago. 2020. Disponível em: https://revistabrasileirademeioambiente.com/index.php/RVBMA/article/view/511#:~:text=Os %20resultados%20apontaram%20influ%C3%AAncia%20da,praia%20de%20Amaralina%20 %2D%20AM%20100. Acesso em: 07 set. 2023. ATLAS BRASIL. Perfil. Recife, 03 jul. 2023. Disponível em: http://www.atlasbrasil.org.br/perfil/municipio/. Acesso em: 07 set. 2023. BERG, C. H; GUERCIO, M. J.; ULBRICHT, V. R. Indicadores de balneabilidade: a situação brasileira e as recomendações da World Health Organization. INTENATIONAL JOURNAL ENGINEERING KNOWLEDGE MANAGEMENT, Florianópolis, v. 2, n. 3, p. 83-101, jul./out. 2013. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/ijkem/issue/view/3219. Acesso em: 07 set. 2023. BRASIL. CÓDIGO CIVIL. Estabelece as diretrizes nacionais para o saneamento básico; cria o Comitê Interministerial de Saneamento Básico. Brasília: Casa Civil, 2007. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/lei/l11445.htm. Acesso em: 07 set. 2023. BRASIL. CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL DE 1988. Brasília: Casa Civil, 1988. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 07 set. 2023. BRASILDEFATO. Tratamento de esgoto é principal responsável pela poluição do rio dos Sinos, dizem estudiosos. Porto Alegre, 04 fev. 2022. Disponível em: https://www.brasildefato.com.br/2022/02/04/tratamento-de-esgoto-e-principal-responsavel pela-poluicao-do-rio-dos-sinos-dizem-estudiosos. Acesso em: 07 set. 2023. CAVALCANTI, Lana de Souza. Geografia, escola e construção de conhecimentos. 10. ed. Campinas, São Paulo: Papirus, 1998. CLIMACO, J. C. T. D. S. Paint–caos urbano e gravura digital. Revista Plurais –Virtual, Anápolis, v. 8, n. 1, p. 194-208, jan./abr. 2018 Disponível em: https://www.revista.ueg.br/index.php/revistapluraisvirtual/article/view/9182/6779. Acesso em: 07 set. 2023. CLIMATE DATA. Dados Climáticos Para Cidades Mundiais. Recife, 03 jul. 2023. Disponível em: https://pt.climate-data.org/america-do-sul/brasil/pernambuco/. Acesso em: 07 set. 2023. COMPANHIA AMBIENTAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. Balneabilidade e Saúde. Recife, 13 jun. 2023. Disponível em: https://cetesb.sp.gov.br/praias/balneabilidadeesaude/. Acesso em: 07 set. 2023. CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE. Resolução Conama nº 274, de 29 de novembro de 2000. Define os critérios de balneabilidade em águas brasileiras. Brasília: Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima, 2000. Disponível em: http://pnqa.ana.gov.br/Publicacao/Resolu%C3%A7%C3%A3o_Conama_274_Balneabilidade. pdf. Acesso em: 07 set. 2023. G1 PE. Medidas restritivas começam a valer no Grande Recife e Zona da Mata, mas praias têm desrespeito a proibições. Recife, 29 mai. 2021. Disponível em: https://g1.globo.com/pe/pernambuco/noticia/2021/05/29/medidas-restritivas-comecam-a valer-no-grande-recife-e-zona-da-mata-mas-praias-tem-desrespeito-a-proibicoes.ghtml. Acesso em: 07 set. 2023. GOUVEIA, E. L; SILVA, M. J. D. Governança e gestão dos recursos hídricos no estado de Pernambuco. Okara: Geografia em debate, João Pessoa, v. 16, n. 1, p. 162-174, jan./jun. 2022. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/index.php/okara/issue/view/2802. Acesso em: 07 set. 2023. HELLER, Léo. SANEAMENTO E SAÚDE. Brasília: Organização Pan-Americana Da Saúde, 1997. INSTITUTO ÁGUA E SANEAMENTO. Municípios e saneamento. Recife, 03 jul. 2023. Disponível em: https://www.aguaesaneamento.org.br/municipios-e-saneamento/pe/. Acesso em: 07 set. 2023. INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Panorama. Recife, 03 jul. 2023. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/. Acesso em: 07 set. 2023. JACOBI, P. R. Educação ambiental, cidadania e sustentabilidade. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 33, n. 118, p. 189-205, mar./abr. 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/cp/a/kJbkFbyJtmCrfTmfHxktgnt/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 07 set. 2023. LIMA, L. G. D. D; ALVES, L. D. S. F.; SILVA, A. M. D. Ordenamento territorial do turismo nas regiões metropolitanas de Fortaleza, Natal, Recife e Salvador: Prodetur I e II e estruturas de apoio turístico. Observatório de Inovação do Turismo, Rio de Janeiro, v. 11, n. 1, p. 71- 91, mai./jun. 2017. Disponível em: http://publicacoes.unigranrio.edu.br/index.php/raoit/article/view/4516. Acesso em: 07 set. 2023. LIMA, R. D. C. Análise espaço-temporal da balneabilidade no litoral de João Pessoa e Cabedelo. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia) - Departamento de Geociências, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2013. LIMA, R. D. C; VIANNA, P. C. G.; VILLAR, F. D. A. Análise temporal da balneabilidade no litoral de João Pessoa e Cabedelo, estado da Paraíba. In: XII CONGRESSO NACIONAL DE MEIO AMBIENTE DE POÇOS DE CALDAS, 2015, Minas Gerais. Anais [...]. Poços de Caldas: 2015. p. 1-7. LOPES, F. W. D. A; MAGALHÃES Jr., A. P.; SPERLING, E. V. Balneabilidade em águas doces no brasil: riscos a saúde, limitações metodológicas e operacionais. Hygeia - Revista Brasileira de Geografia Médica e da Saúde, Recife, v. 9, n. 16, p. 28-47, mar./jun. 2013. Disponível em: https://seer.ufu.br/index.php/hygeia/article/view/22268. Acesso em: 07 set. 2023. LOPES, F. W. D. A. Proposta metodológica para avaliação de condições de balneabilidade em águas doces no Brasil. 2012. Tese (Doutorado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2012. MACEDO-SILVA, W; TCHAICKA, L.; SÁ-SILVA, J. R. Representações Sociais e Percepção Ambiental: A Balneabilidade de Praias de São Luís e São José de Ribamar, Maranhão, Brasil. Rosa dos Ventos – Turismo e Hospitalidade, Caxias do Sul, v. 8, n. 4, p. 405-418, out./dez. 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18226/21789061.v8i4p405. Acesso em: 07 set. 2023. MARANHO, M. C; OLIVEIRA Jr., C. R. D. O lazer no contexto do espaço público: algumas aproximações. EFDeportes.com, Buenos Aires, ano. 21, n. 216, p. 1-1, abr./mai. 2016. Disponível em: http://www.efdeportes.com/efd216/o-lazer-no-contexto-do-espaco publico.htm. Acesso em: 07 set. 2023 MINISTÉRIO DA SAÚDE. Manual do Saneamento. 3. ed. Brasília: Fundação Nacional de Saúde, 2004. OLIVEIRA, V. A. D. Balneabilidade das praias abrigadas de Niterói e a relação com o programa enseada limpa. 2019. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Geografia) - Instituto de Geociências, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2019. PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO. Movimento é vida: atividades físicas e esportivas para todas as pessoas. Brasília: PNUD, 2017. SANTA CATARINA. Decreto nº 24.981, de 14 de março de 1985. Regulamenta os artigos 32, 33, 34 e § 1º do artigo 40, da lei nº 6.320 de 20 de dezembro de 1983, que dispõem sobre abastecimento de água. Florianópolis: Governo do Estado de Santa Catarina, 1985. Disponível em: https://leisestaduais.com.br/sc/decreto-n-24981-1985-santa-catarina regulamenta-os-artigos-32-33-34-e-1-do-artigo-40-da-lei-n-6320-de-20-de-dezembro-de 1983-que-dispoem-sobre-abastecimento-de agua#:~:text=20%20Toda%20pessoa%20est%C3%A1%20proibida,Art. Acesso em: 07 set. 2023. SANTOS, Milton. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 3. ed. São Paulo, São Paulo: Edusp, 2003. SILVA, A. P. D; LIMA, D. P.; BALDUINO, A. R. Diagnóstico das condições de balneabilidade da Praia Beira Rio do município de Porto Nacional (TO). Engineering Sciences, Recife, v. 7, n. 2, p. 53-59, abr./jul. 2019. Disponível em: https://sustenere.co/index.php/engineeringsciences/issue/view/142. Acesso em: 07 set. 2023. UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA. Pandemia e Meio Ambiente: Impactos momentâneos ou nova normalidade?. Juiz de Fora, 24 abr. 2020. Disponível em: https://www2.ufjf.br/noticias/2020/04/24/pandemia-e-meio-ambiente-impactos momentaneos-ou-nova-normalidade/. Acesso em: 07 set. 2023pt_BR
dc.rightsAcesso Abertopt_BR
dc.rightsAn error occurred on the license name.*
dc.rights.uriAn error occurred getting the license - uri.*
dc.subjectGeografiapt_BR
dc.subjectBalneabilidadept_BR
dc.subjectMonitoramento ambientalpt_BR
dc.subjectSaneamento básicopt_BR
dc.subjectRecursos hídricospt_BR
dc.titleAnálise espaço-temporal da balneabilidade em, Pernambuco: o comportamento das praias de Paulista, Olinda, Recife e Jaboatão dos Guararapes nos anos 2021 e 2022pt_BR
dc.typeTCCpt_BR
dc.creator.Latteshttp://lattes.cnpq.br/6564623684329745pt_BR
dc.contributor.advisor1Gouveia, Enildo Luiz
dc.contributor.advisor1Latteshttp://lattes.cnpq.br/7752449979408502pt_BR
dc.contributor.referee1Souza, Joazadaque Lucena de
dc.contributor.referee2Lima, Maria Goretti Cabral de
dc.contributor.referee1Latteshttp://lattes.cnpq.br/6091743172639190pt_BR
dc.contributor.referee2Latteshttp://lattes.cnpq.br/5542055797854394pt_BR
dc.publisher.departmentRecifept_BR
dc.publisher.countryBrasilpt_BR
dc.subject.cnpqCIENCIAS HUMANAS::GEOGRAFIApt_BR
dc.description.resumoA balneabilidade é um dado que se relaciona diretamente com o saneamento básico, sendo que este último, por sua vez, possui valores médio-baixos na Região Metropolitana do Recife (RMR), o que acaba se refletindo negativamente na qualidade das águas oceânicas. Uma vez que as praias são ambientes muito frequentados, estes espaços de lazer perdem seu potencial de uso quando apresentam o recurso hídrico impróprio para as atividades que nele seriam desenvolvidas. Esta pesquisa, então, classificou os resultados disponibilizados pela Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) dos anos de 2021 a 2022 nos 4 municípios que apresentaram os quantitativos de populações mais expressivos dentro do recorte selecionado, sendo eles: Paulista, Olinda, Recife e Jaboatão dos Guararapes. Como a balneabilidade é multidimensional e interdisciplinar, o seu estudo e análise viabilizam que melhorias precisas possam ocorrer em diversas áreas, indo desde a saúde coletiva até o turismo costeiro, sendo, portanto, essencial para um desenvolvimento sustentável pautado na harmonia e equilíbrio da relação homem-natureza-sociedade.pt_BR


Files in this item

Thumbnail
Thumbnail

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record